aperte enter para procurar
EXPOSIÇÕES
EXPOSIÇÃO PASSADA
ANDRÉS BEDOYA, CARLOS GUZMÁN, JULIÁN D'ANGIOLILLO, VICTOR LEGUY, XIMENA GARRIDO-LECCA
DE 30 DE JANEIRO A 12 DE MARÇO
#02 C.LAB Mercosul . Território, povoação

Curadoria: Gabriel Bogossian e Juliana Gontijo


No dia 30 de janeiro de 2016, sábado, a Blau Projects promove a abertura da exposição Território, povoação, resultado de seu programa de incentivo a jovens curadores, o C.LAB. A segunda edição do edital teve como escolhidos os curadores Gabriel Bogossian e Juliana Gontijo, que exibem a presente exposição com cinco artistas latino-americanos que questionam a problemática do território continental, desde a colonização até os dias atuais. São eles: Andrés Bedoya, Carlos Guzmán, Julián D’Angiolillo, Victor Leguy e Ximena Garrido-Lecca. Além da abertura da exposição, a galeria realiza o lançamento da terceira edição do C.LAB, edital dedicado a revelar jovens curadores latino-americanos com incentivo financeiro, e que em 2016 oferece pela primeira vez uma residência artística em Buenos Aires.


"Na história da América Latina, o problema do território é uma questão recorrente. Desde a colonização, as disputas em torno da terra e da sua posse fazem parte do nosso cotidiano, seja em contextos agrários, ambientais, étnicos ou nas inúmeras favelas das cidades latino-americanas. É com esse pano que fundo que a exposição trabalha, com obras que abordam, de diversas maneiras, os nossos territórios e as narrativas que os conformam”, afirmam os curadores Juliana Gontijo, brasileira baseada em Buenos Aires, e Gabriel Bogossian, brasileiro que mora em São Paulo.


O nome do projeto é uma referência ao título de um conjunto de aulas que o francês Michel Foucault ministrou na França, nos anos 1970, investigando a relação entre as transformações das formas de governo e as mudanças na compreensão do território. A peruana Ximena Garrido-Lecca apresenta o vídeo Contornos, de 2014, e mostra a arqueologia de um passado pré-colombiano em um vilarejo no Peru contrastando com operações de privatização e atividades de mineração. A disputa entre herança e modernidade, tradição e progresso, invariavelmente, é o abandono. 


Antropolis, instalação do argentino Julián D´Angiolillo, feita em 2011, é um projeto que fabrica um espaço anômalo e vizinho ao de Tecnopolis, uma feira de tecnologia e ciência que o Estado Argentino construiu em comemoração ao bicentenário do país no subúrbio de Buenos Aires. A obra expõe cruamente a realidade dos subúrbios latino-americanos e relativiza os discursos de desenvolvimento e progresso que acompanham o crescimento incontrolável e monstruoso de nossas metrópoles.


O colombiano Carlos Guzmán mostra o vídeo Colheita, de 2015, em que apresenta um mapa da cidade de São Paulo a partir das plantas de café encontradas nas ruas ao longo de dois anos. O artista torna-se o colhedor da planta aos moldes da colheita feita nas montanhas da Colômbia, buscando os melhores grãos vermelhos. Ao mesmo tempo, imigrantes colombianos falam das causas do deslocamento geográfico, social e cultural das cidades colombianas em relação à metrópole
paulista. 


A presença de imigrantes na cidade de São Paulo é tema da instalaçãoIrrealidades ficcionais pouco importantes, trabalho inédito do artista brasileiro Vitor Leguy, composto de desenhos, objetos e vídeos com histórias reais que beiram a ficção e depoimentos de personagens que não são encontrados nos veículos de comunicação.


Río Negro, do boliviano Andrés Bedoya, feito em 2014, é parte de um conjunto de oito vídeos que compõem a instalação de mesmo nome, mostrando um plano fechado do rio Choqueyapu, com sua espuma contaminada cruzando a cidade de La Paz. O rio foi responsável pelo desenvolvimento histórico da cidade por conter grandes quantidades de ouro, e atualmente é considerado uma catástrofe ecológica. Os rios refletem o seu entorno e suas condições políticas, econômicas e sociais.


Sobre o C.LAB


Concebido como projeto independente do programa regular de exposições da Blau Projects, o concurso anual C.LAB seleciona e apoia projetos de curadores e artistas independentes para exposição no espaço da galeria, reforçando seu papel de incubadora e difusora da arte contemporânea. A primeira edição, realizada em 2014, resultou na produção e exibição do projeto individual Ampulheta, do curador Douglas Negrisolli, que contemplou a obra do artista Andrei Thomaz, e do projeto coletivo (...) pegaríamos as coisas onde elas crescem, pelo meio (...), da curadora Galciani Neves, com trabalhos de Ana Dias Batista, Fabio Morais, Laura Gorski, Jimson Vilela, Jorge Menna Barreto e Thiago Honório. Em 2015, a segunda edição do C.LAB já apresentou, como primeiro resultado, a exposição Na Iminência, da curadora Carolina Soares, com os artistas colombianos Ana Karina Moreno, Camila Echeverría Martínez, Camilo Ordóñez Robayo e os brasileiros Haroldo Saboia, Jaime Lauriano e Reginaldo Pereira. A presente exposição Território, povoação, é o segundo projeto escolhido a edição de 2015.


Lançamento #03 C.LAB Mercosul


Na mesma ocasião da abertura da exposição Território, povoação, dia 30 de janeiro, a Blau Projects lança a terceira edição do seu edital voltado à curadoria, o C.LAB Mercosul. As inscrições podem ser feitas por curadores de toda a América Latina. A galeria garante o aporte financeiro de R$ 15 mil reais para cada projeto coletivo a ser exposto em seu espaço. São selecionados dois projetos, sendo que cada inscrição é realizada por meio de um curador ou grupo curatorial, em projeto que deve apresentar no mínimo três e no máximo seis artistas. Assim, a Blau Projects possibilita aos selecionados a oportunidade de evolução profissional em âmbito internacional e, ao público, o acesso a novas formas de abordagens e experiências. Nesta edição, além do valor em dinheiro, uma das premiações será uma residência artística do curador selecionado em Buenos Aires, em instituição portenha de reconhecido gabarito cultural.






 



PASSADAS
PESO À TERRA >> MARCONE MOREIRA | 22/02/2014 - 05/04/2014
FILM STUDIES >>>> BENOÎT MAIRE | 19/10/2013 - 23/11/2013
THE SUMMER IS ON >> COLETIVA | 07/12/2013 - 07/02/2013
PAISAGENS TRANSPORTÁVEIS . CAPA >> Marga Puntel | 22/08/2013 - 28/09/2013
PROPOSTA PARA ATUALIZAÇÃO DE UMA ENCICLOPÉDIA >> RENATA CRUZ | 12/04/2014 - 24/05/2014
MÁQUINA DO TEMPO >> CURADORIA DE DOUGLAS NEGRISOLLI | 05/07/2014 - 09/08/2014
DIORAMA >>>> VÍTOR MIZAEL | 23/08/2014 - 29/09/2014
EM OBRAS >> BRUNO MORESCHI | 18/10/2014 - 29/11/2014
“... pegaríamos as coisas onde elas crescem, pelo meio...” | 13/12/2014 - 28/02/2015
DESLOCAMENTOS >>> ANDREY ZIGNNATTO | 28/03/2015 - 16/05/2015
COLETIVA DE ACERVO | 04/06/2015 - 20/06/2015
#02 C.LAB Mercosul . NA IMINÊNCIA | 27/06/2015 - 08/08/2015
PÁGINAS VERMELHAS >> ÉDER OLIVEIRA | 29/08/2015 - 10/10/2015
CÉU DE CHUMBO >>> CAETANO DIAS | 17/10/2015 - 19/11/2015
BURACO >>> BRUNO DROLSHAGEN | 28/11/2015 - 16/01/2016
#02 C.LAB Mercosul . Território, povoação | 30/01/2016 - 12/03/2016
FICÇÕES SENSORIAIS >>> MARIA LYNCH | 02/04/2016 - 21/05/2016
360 METROS QUADRADOS >>>> PEDRO DAVID | 11/06/2016 - 13/07/2016
#3 C.LAB MERCOSUL . Formas de abandonar o corpo - Parte I . curadoria Natália Quinderé . expografia Tiago Guimarães | 23/07/2016 - 13/08/2016
PÉROLA NEGRA | 20/08/2016 - 24/09/2016
FORMA DE REÚSO | 01/10/2016 - 05/11/2016
Porque somos elas e eles . Curadoria de Josué Mattos | 19/11/2016 - 20/12/2016
#3 C.LAB MERCOSUL . Miniaturas, Maquetes, Vodu e Outras Projeções Políticas . curadoria Claudia Rodriguez Ponga Linares | 28/01/2017 - 25/02/2017
COLETIVA DE ACERVO | 04/03/2017 - 25/03/2017
PARA SEMPRE E UM DIA | 01/04/2017 - 27/05/2017
#4 C.LAB Mercosul . Desarticulaciones . Curadoria María Alejandra Gatti | 08/07/2017 - 12/08/2017
Arquipélago de instantes | 19/08/2017 - 30/09/2017
PRÓXIMAS